Alice no país do racismo

Escrito por Alice Aparecida dos Santos

O que é o Racismo velado no Brasil (!).

Como é que o povo brasileiro vai fazer para superar resquícios de um comportamento separatista?

A nossa visão de mundo preto e branco deturpada, ao longo de décadas. O preconceito com a “mulher e negra” nesse nosso país, nada deixa a desejar com as atrocidades do mundo lá fora. Resolveram depois de Martin Luther King, Malcon X… e tantos vitoriosos da luta contra o racismo… por uma convivência amigável… mas sempre uma preferência pela classe branca…

Embaixo de véus e desculpas sem medidas.

Eu fui outrora barrada em prédios e convidada a passar pela área de serviço ao levar uma cesta de café da manhã para um aniversariante em Botafogo no RJ… fui contratada e demitida em menos de 24 horas pela Aliança Francesa: minha capacidade atestada mas apagada por uma foto… fui seguida por seguranças em shoppings… há mais de 30 anos os arrastões, seguida em em mercados e era raro ver os meliantes longe de morros, as comunidades eram o terror dos bairros, porque pra lá fugiam os fora da lei! 

A separação era clara ou não!

Se no ônibus tinha um negro esse era suspeito de um assalto… mas foi um branco armado que quase levou meu salário do mês! Fui barrada em shows, em hotéis… até me diferenciar pela educação, formação e por representar instituições de peso como o extinto Banco Nacional… a DSND Consub, estrangeiros… empresários… por ser eloquente e persuasiva… por ser uma secretária dedicada e gerenciar muitas vidas! Mas não a ponto de chegar ao alto escalão e a cargos alcançáveis por tantos… certifiquei uma empresa inteira na DNV para prestadora de serviço da Petrobras, produzi procedimentos de segurança dignos, através de um movimento de representação de embarcados na CIPA… tão dentro do contesto de interessados e capazes de serem copiados e implantados em tantos lugares!

A assinatura dos feitos… ah, essa tá na minha memória e no meu álbum interno de realizações: nunca souberam que fui eu… como uma mulher negra com cargo de assistente vai ter valor para o mundo dos homens brancos…

Me sentia às vezes como as pioneiras da NASA… que mesmo brilhantes sempre foram distinguidas pela raça e por seu gênero… jamais pelo esforço e inteligência! Subjugadas na classe e intituladas de computador porque faziam e corrigiam cálculos. Mas como mulheres e negras quase nem sequer eram enxergadas como tal… se não fosse o confronto dos que se achavam superiores! Ahhh, era Hitler do “nós somos uma raça superior”… como tocar o mesmo bule de café destinado a eles ou usar o mesmo toalete (banheiro)! No filme o tão inteligente Sr. Houston destrói essa barreira. Para que a inteligência supere as lutas por uma simples necessidade fisiológica! 

Minhas lutas retratam essas incoerências ao longo da vida… onde deixei de ser respeitada e mesmo sem acreditar que isso se dava por cor, raça… ou por ser mulher! 

Aí nesse dia das mulheres, que foi catalogado no calendário como forma de tentar remediar um dia tão triste, onde se comemora o dia onde muitas foram mortas em uma manifestação de seus direitos de forma tão separatista, só tenho é orgulho da mulher negra inteligente e sagaz que me tornei!

Nenhum dos atos de discriminação sofridos do alto dos meus 57 anos vão me fazer me sentir menos que muito vitoriosa e guerreira!

1 comment

  1. Minha amiga e irmã, sua história de vida teve seus momentos ruins pelo racismo, mas graças a Deus você não deixou isso destruir o seu brilho e mostrou a muitos que, não é por que você é uma mulher e negra que você não tem capacidade de ser uma grande pessoa e muito responsável.

Deixe uma resposta