Homem trans, operador branco, prazer!

Refiz esse texto algumas vezes, para descobrir que senti a necessidade de me apresentar.

Me chamo Davi, por escolha. A história do Rei Davi me tocou, e, com esse novo nome, tenho me descoberto. Esse, aliás, é um assunto que pretendo aprofundar. Sou formado em design gráfico por uma boa faculdade pública, mas meus caminhos me levaram a trabalhar numa empresa de cobrança.

Aqui já podemos fazer a primeira crítica: as universidades deveriam ser espaços unicamente para construção de conhecimento e retorno à sociedade. Isso existe, mas também uma lógica de mercado muito presente e perigosa.

Um amigo sempre me falava que o lugar onde trabalhamos deveria ser estudado. De fato. Já tentei escrever sobre diversas vezes, mas são milhares de linhas que se atravessam. Temos a hierarquia, que é uma loucura por si só. Como dizer que existem pessoas que podem mandar nas outras? Outro pensamento idealista: quem mantém o lucro e o crescimento são os operadores, que sempre são os mais explorados.

Além das relações raciais. Quem consegue os cargos mais altos são pessoas brancas. Temos poucas pessoas declaradamente negras em posições de liderança. Até aqui nada de novo, como vocês podem imaginar. Um diferencial é que a empresa veste a bandeira LGBT. Diversidade é propaganda.

Também é um lugar composto majoritariamente por jovens. Isso traz tantas questões. Mesmo no início da pandemia não paramos de trabalhar. Fomos considerados serviço essencial. A juventude é conhecida por ser uma idade impulsiva, certo? Via as pessoas flertando e marcando de sair quando mal sabíamos o que era a Covid.

Mas em todo caso, sigo empregado e com salário em dia. Em tempos em que a fome tem crescido, além da miséria, é um ponto muito importante. Não creio que devo agradecimentos à empresa, mas sim às pessoas que estão ao meu redor, por fazerem parte dos meus dias.

Digo isso porque um discurso frequente é que sou “ingrato” por estar criticando algo que faz parte do funcionamento de lá. Ou “reclamão” por falar sobre a estrutura da sociedade.

Tenho aprendido a direcionar minha energia. E aqui estou, para poder falar de forma aberta e honesta sobre assuntos que considero tão importantes.

Obrigado por me acompanharem até aqui.

Escrito por Davi Cabeça

Deixe uma resposta